Jornalista processa Globo por "ditadura da magreza"

 

Após processo por direitos trabalhistas e denúncias de discriminação de gênero, idade e imposição de padrões estéticos, a TV Globo enfrenta uma condenação judicial. Segundo informações do site Notícias da TV, a emissora foi processada pela ex-jornalista Veruska Donato e foi considerada culpada pela Justiça.

Veruska Donato, que trabalhou na TV Globo por 21 anos, alegou nos autos que os padrões de beleza impostos pela empresa a afetaram negativamente, resultando em problemas de saúde. A prática foi considerada misógina pela Justiça, marcando uma decisão inédita nesse contexto.

Após um afastamento do trabalho por 77 dias devido à síndrome de burnout, a jornalista decidiu abrir um processo contra a empresa, reivindicando direitos trabalhistas e denunciando discriminação de gênero e idade, além da imposição de padrões estéticos irreais nos bastidores.

O juiz Adenilson Brito Fernandes, da 37ª Vara do Trabalho de São Paulo, emitiu sua sentença na última segunda-feira (1º/4), reconhecendo que a "perseguição estética" praticada pela Globo configurava uma "ditadura da magreza", caracterizando uma forma intolerável de misoginia. Segundo informações do site Notícias da TV, a emissora foi condenada a pagar uma indenização de R$ 50 mil à Veruska Donato.

Postar um comentário

O comentário é de total responsabilidade do internauta que o inseriu.

Postagem Anterior Próxima Postagem