Caçada aos fugitivos de Mossoró custou R$ 2,5 milhões ao Governo Federal

 

Desde a fuga dos detentos Deibson Cabral Nascimento e Rogério da Silva Mendonça da penitenciária federal de segurança máxima de Mossoró (RN), em 14 de fevereiro, o governo federal destinou aproximadamente R$ 2,5 milhões para as operações de busca, conforme dados obtidos por meio da Lei de Acesso à Informação. Completando 49 dias desde o ocorrido até a última terça-feira (2), os gastos somaram R$ 2.491.911,78 até 27 de março.

Os recursos foram direcionados para despesas da Força Nacional de Segurança Pública, Polícia Federal, Diretoria do Sistema Penitenciário Federal e Coordenação-Geral de Operações Integradas e Combate ao Crime Organizado. Ainda que não tenham sido divulgados os gastos da Polícia Rodoviária Federal, o montante total da operação pode ser ainda maior.

A Diretoria do Sistema Penitenciário Federal investiu R$ 125.233,80 em passagens e R$ 252.506,43 em diárias para um efetivo de 32 agentes, além de despesas de R$ 51.328,30 com o abastecimento dos veículos utilizados pelos servidores.

A Coordenação-Geral de Operações Integradas e Combate ao Crime Organizado autorizou o deslocamento de um servidor para auxiliar na captura dos foragidos. Este órgão teve um gasto de R$ 5.611,80 em passagens aéreas e de R$ 2.480 em diárias para o servidor, que permaneceu em Mossoró de 22 a 29 de fevereiro.

Postar um comentário

O comentário é de total responsabilidade do internauta que o inseriu.

Postagem Anterior Próxima Postagem