Acusado baleado em júri matou pai do atirador por causa de um burro

 

O réu Francisco Cleidivaldo, envolvido em um homicídio ocorrido em 2012 no município de São José do Belmonte, Pernambuco, foi alvo de um ataque durante o julgamento. O crime que estava sendo julgado teria sido motivado pelo desaparecimento de um animal. Segundo o processo do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE), o réu confessou ter atirado em Francisco Alves, pai do atirador, durante uma discussão sobre a propriedade de um burro fugido.

O incidente aconteceu em 5 de outubro de 2012, quando Cleidivaldo, em busca do animal desaparecido, encontrou Francisco Alves na propriedade deste último, resultando em um confronto verbal que culminou em tiros disparados pelo réu. Após o crime, Cleidivaldo fugiu, mas foi posteriormente preso em flagrante na cidade de Salgueiro.

Francisco Alves, ferido pelos disparos, foi levado a um hospital local e posteriormente transferido para Arcoverde, onde veio a falecer 18 dias depois. O caso tomou um novo rumo quando, em novembro de 2023, durante o julgamento do réu, Cristiano Alves, filho da vítima, invadiu o tribunal e atirou em Cleidivaldo, sendo posteriormente detido.

Veja no vídeo abaixo o momento dos tiros no júri:

O réu confessou ter atirado em legítima defesa, afirmando que agiu para se proteger das investidas de Francisco Alves, que portava uma vara. No entanto, o caso ainda aguarda novo julgamento. Cleidivaldo foi atingido por seis tiros durante o ataque no tribunal, além de ter sido agredido com coronhadas na cabeça enquanto tentava fugir. Ele foi inicialmente levado ao Hospital de São José do Belmonte e depois transferido para Serra Talhada, onde recebeu tratamento médico.

O Tribunal de Justiça de Pernambuco informou que o júri ainda não foi reagendado e que Cleidivaldo está atualmente em liberdade.

Postar um comentário

O comentário é de total responsabilidade do internauta que o inseriu.

Postagem Anterior Próxima Postagem