MASSACRE DE CAMARAGIBE: Policiais denunciados por sequência de mortes ficam presos

 

O Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) determinou as medidas a serem tomadas em relação aos policiais militares envolvidos na série de mortes ocorridas em Camaragibe, no Grande Recife. Após torná-los réus, o TJPE anunciou nesta sexta-feira (8) que cinco PMs permanecerão sob prisão preventiva, enquanto outros sete responderão em liberdade.

Os seguintes acusados permanecerão detidos:

  • Paulo Henrique Ferreira Dias
  • Dorival Alves Cabral Filho
  • Leilane Barbosa Albuquerque
  • Emanuel de Souza Rocha Júnior
  • Fábio Júnior de Oliveira Borba

Os seguintes acusados responderão em liberdade provisória, sujeitos a medidas cautelares:

  • Marcos Túlio Gonçalves Martins Pacheco
  • João Thiago Aureliano Pedrosa Soares
  • Janecleia Izabel Barbosa da Silva
  • Fábio Roberto Rufino da Silva
  • Diego Galdino Gomes
  • Eduardo de Araújo Silva
  • Cesar Augusto da Silva Roseno

Os sete PMs em liberdade provisória estarão sujeitos às seguintes medidas cautelares:

  • Proibição de contato com testemunhas do processo, presencialmente ou por meio eletrônico ou redes sociais.
  • Restrição ao exercício de funções na 2ª seção do Estado Maior da Polícia Militar ou em qualquer núcleo de inteligência da corporação, com vedação de lotação no 20º BPM/PE.

De acordo com o TJPE, não houve denúncia contra os policiais militares Laerte Rafael Amorim Gomes e Rodrigo Monteiro, permitindo-lhes o retorno às funções na PM.

Veja abaixo vídeos capturados por moradores momentos após a morte dos policiais:

Resumo do Caso

Na quinta-feira (7), a Primeira Vara Criminal da Comarca de Camaragibe do TJPE recebeu a denúncia do Ministério Público de Pernambuco (MPPE) contra os policiais militares acusados dos homicídios de membros de uma mesma família. O crime ocorreu na madrugada de 15 de setembro de 2023, na cidade. Os acusados foram intimados a oferecer defesa por escrito em resposta à acusação.

O MPPE alega que durante uma abordagem em 15 de setembro, ocorreu um confronto entre os policiais e Alex da Silva, resultando na morte de dois policiais e no ferimento de uma mulher e seu primo. Posteriormente, outros policiais, sob comando e monitoramento da Polícia Militar, iniciaram uma caçada aos familiares de Alex, resultando em múltiplas mortes.

Alex foi morto em Tabatinga após reagir a uma abordagem policial.

Veja abaixo o vídeo da transmissão da morte da família (ATENÇÃO! AS IMAGENS SÃO FORTES):

Postar um comentário

O comentário é de total responsabilidade do internauta que o inseriu.

Postagem Anterior Próxima Postagem