Defesa de oficiais da PMPE contesta acusação de participação no Massacre em Camaragibe

 

Os advogados de defesa dos tenentes-coronéis da Polícia Militar de Pernambuco, Fábio Roberto Rufino da Silva e Marcos Túlio Gonçalves Marins Pacheco, refutaram informações apresentadas em documento do Ministério Público (MPPE) sobre o caso das mortes ocorridas em Camaragibe, no Grande Recife, em setembro de 2023.

De acordo com o documento do MPPE, os oficiais foram denunciados e são réus, permanecendo em liberdade mediante medidas cautelares. Essa mesma medida foi estendida a outros cinco policiais suspeitos de envolvimento no caso, enquanto outros cinco foram presos e permanecem detidos durante o processo.

Os advogados divulgaram uma nota nesta terça-feira (12), endereçada ao Diario de Pernambuco, expressando surpresa e indignação com as matérias veiculadas pela mídia, que os relacionam aos crimes de Camaragibe. Eles contestam a atribuição de participação no caso, destacando que não houve autorização expressa por parte dos tenentes-coronéis para os eventos citados na denúncia do MPPE.

A defesa refuta a existência de áudios ou mensagens que sugiram ordens para ações criminosas e nega qualquer envolvimento em reuniões ou briefings para orientar policiais nas ações sob investigação. Salientam ainda que, embora o inquérito policial não tenha indiciado os tenentes-coronéis, estes foram acusados devido ao fato de ocuparem o comando da unidade militar responsável pela área de Camaragibe/São Lourenço na época dos eventos.

Os advogados também criticam o vazamento de informações à mídia enquanto os autos estavam sob sigilo de justiça, afirmando que tal ato não tinha finalidade eleitoreira, visando atingir a instituição da Polícia Militar de Pernambuco e o Governo do Estado.

A nota é assinada pelos advogados Jethro Ferreira da Silva Júnior, Cezar Jorge de Souza Cabral, Vilmarde Barbosa da Costa e Isaac da Veiga Souza.




MPPE AGE CONTRA POLICIAIS ACUSADOS DE REALIZAREM CHACINA EM CAMARAGIBE

Na quinta-feira (7), a Primeira Vara Criminal da Comarca de Camaragibe do TJPE recebeu a denúncia do Ministério Público de Pernambuco (MPPE) contra os policiais militares acusados dos homicídios de membros de uma mesma família. O crime ocorreu na madrugada de 15 de setembro de 2023, na cidade. Os acusados foram intimados a oferecer defesa por escrito em resposta à acusação.

O MPPE alega que durante uma abordagem em 15 de setembro, ocorreu um confronto entre os policiais e Alex da Silva, resultando na morte de dois policiais e no ferimento de uma mulher e seu primo. Posteriormente, outros policiais, sob comando e monitoramento da Polícia Militar, iniciaram uma caçada aos familiares de Alex, resultando em múltiplas mortes.

Alex foi morto em Tabatinga após reagir a uma abordagem policial.

Veja abaixo o vídeo da transmissão da morte da família (ATENÇÃO! AS IMAGENS SÃO FORTES):

Postar um comentário

O comentário é de total responsabilidade do internauta que o inseriu.

Postagem Anterior Próxima Postagem