Cesta básica sobe em 14 capitais brasileiras em fevereiro

 

O último levantamento da Pesquisa Nacional da Cesta Básica de Alimentos, conduzida pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), revelou que em fevereiro houve um aumento no custo da cesta básica em 14 das 17 capitais brasileiras analisadas.

Entre as capitais que não apresentaram elevação nos preços médios estão Florianópolis (-2,12%), Goiânia (-0,41%) e Brasília (-0,08%). Por outro lado, as maiores altas foram registradas no Rio de Janeiro (5,18%), São Paulo (1,89%) e Salvador (1,86%).

Os produtos que mais contribuíram para esse aumento foram feijão, banana, arroz, manteiga e pão francês. O feijão teve um aumento generalizado em todas as capitais analisadas, enquanto a banana registrou elevações que variaram de 2,62% em Belém a 19,83% em Belo Horizonte, em comparação com janeiro.

Na comparação anual, 12 capitais apresentaram alta nos preços, com variações entre 0,32% em Belém e 11,64% no Rio de Janeiro. Por outro lado, Recife (-7,79%) e Natal (-7,48%) registraram as maiores quedas.

A cidade com a cesta básica mais cara foi o Rio de Janeiro, onde o conjunto dos alimentos básicos custava, em média, R$ 832,80 em fevereiro. São Paulo (R$ 808,38), Porto Alegre (R$ 796,81) e Florianópolis (R$ 783,36) seguiram com os valores mais elevados. Nas capitais do Norte e Nordeste, onde a composição da cesta é diferente, os menores valores médios foram observados em Aracaju (R$ 534,40), Recife (R$ 559,68) e João Pessoa (R$ 564,50).

Considerando a cesta mais cara como referência, o Dieese estima que o valor ideal da cesta básica deveria ser de R$ 6.996,36 em fevereiro. Esse valor é aproximadamente 4,95 vezes o valor do salário mínimo atual, que é de R$ 1.412,00. Esta estimativa é baseada na determinação constitucional de que o salário mínimo deve ser suficiente para cobrir as despesas de um trabalhador e sua família, incluindo alimentação, moradia, saúde, educação, vestuário, higiene, transporte, lazer e previdência.

Postar um comentário

O comentário é de total responsabilidade do internauta que o inseriu.

Postagem Anterior Próxima Postagem