Ataque ao ônibus do Fortaleza foi premeditado; suspeitos são presos

 

Na manhã desta sexta-feira (15), a Polícia Civil deflagrou a Operação Hooligans, resultando na prisão de três suspeitos ligados ao ataque com pedradas ao ônibus do time do Fortaleza. O incidente ocorreu após a partida contra o Sport no Recife, em fevereiro, deixando seis jogadores feridos.

A operação, que visa cumprir sete mandados de prisão e busca e apreensão, foi iniciada em fevereiro de 2024 com o propósito de desarticular uma associação criminosa dedicada à tentativa de homicídio, provocação de tumulto e dano, conforme informado pela Polícia Civil em nota.

Os mandados estão sendo cumpridos em três cidades da Região Metropolitana: Recife, Jaboatão dos Guararapes e Camaragibe, todos expedidos pelo Juízo da Segunda Vara do Tribunal do Júri da Comarca de Jaboatão dos Guararapes.

Veja no vídeo abaixo imagens, gravados pelos jogadores após o ataque, dos danos e ferimentos causados:

As prisões ocorreram 22 dias após o ataque, e os suspeitos foram conduzidos para o Complexo de Operações e Recursos Especiais da Polícia Civil, em Olinda. Segundo o delegado Raul Carvalho, chefe da Delegacia de Polícia de Repressão à Intolerância Esportiva, a investigação foi iniciada imediatamente após o incidente, com o Fortaleza solicitando apoio.

Um dos desafios enfrentados durante a investigação foi a falta de imagens próximas do local do ataque. Câmeras de segurança registraram três ônibus parando próximo ao local, desembarcando torcedores do Sport.

De acordo com o delegado, o ataque não foi um evento isolado, mas sim premeditado, visando atingir a torcida uniformizada do Fortaleza ou o ônibus da equipe.

Jogadores do Fortaleza ficaram feridos após serem atingidos por pedras enquanto estavam dentro de ônibus. 

A Operação Hooligans mobiliza 60 policiais civis, incluindo delegados, agentes e escrivães, e contou com assessoria da Diretoria de Inteligência da Polícia Civil de Pernambuco (Dintel).

Relembrando o ataque, ocorrido após o jogo entre Sport e Fortaleza pela Copa do Nordeste na Arena de Pernambuco, seis jogadores do Fortaleza foram feridos por pedradas enquanto o ônibus passava pela BR-232, no bairro do Curado, Zona Oeste do Recife.

As vítimas receberam cuidados médicos para a retirada de estilhaços de vidro e foram liberadas posteriormente. O Sport, em declaração nas redes sociais, repudiou a violência e afirmou que não condiz com os valores do clube.

Em primeira instância, o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) puniu o Sport com oito jogos de portões fechados e a perda do direito à carga de ingressos como visitante durante a punição das oito partidas como mandante. O clube informou que vai recorrer da decisão.


Operação da Polícia Civil prende suspeitos de realizarem o ataque ao ônibus do Fortaleza.


Postar um comentário

O comentário é de total responsabilidade do internauta que o inseriu.

Postagem Anterior Próxima Postagem