Acusado de matar comerciante no agreste é condenado a 26 anos de prisão

 

Na última segunda-feira (05), o réu acusado do assassinato de José Adriano da Silva, conhecido como "Zé do Ferro Velho", foi julgado pelo júri popular. A vítima foi morta em 5 de setembro do ano passado durante uma tentativa de assalto que teve início no bairro São José, em Santa Cruz do Capibaribe, Pernambuco, e culminou com o óbito de José Adriano na PE-160.

De acordo com as investigações, no dia do crime, o acusado José Josefa Nunes da Silva Alves, acompanhado por dois comparsas armados, perseguiu José Adriano, que dirigia um veículo Parati. O objetivo do trio era realizar o assalto e subtrair toda a carga de confecção.

Durante a ação, um dos suspeitos disparou contra o veículo Parati, atingindo "Zé do Ferro Velho". Mesmo ferido, a vítima conseguiu dirigir o carro pela PE-160, dentro do perímetro urbano de Santa Cruz do Capibaribe, até estacioná-lo. Faleceu ao cair na pista enquanto buscava por socorro.

Após os disparos, os suspeitos roubaram uma moto e empreenderam fuga. O acusado foi preso no dia seguinte ao crime, após a polícia realizar uma campana nas proximidades da residência de familiares do réu, no Loteamento Maria Vieira II, em Santa Cruz.

Segundo informações, no interrogatório judicial, o acusado admitiu sua participação no fato, mas defendeu-se, alegando que não efetuou o disparo fatal, pois não estava com a arma de fogo utilizada no momento do delito.

Após o julgamento ocorrido nesta segunda-feira, por maioria, o réu foi condenado a 26 anos e oito meses de reclusão pelos crimes de latrocínio e roubo. A sentença negou ao réu o direito de recorrer em liberdade.

Postar um comentário

O comentário é de total responsabilidade do internauta que o inseriu.

Postagem Anterior Próxima Postagem