Justiça manda soltar policiais envolvidos em mortes na comunidade do Detran, Recife

 

Seis policiais militares, anteriormente detidos sob suspeita de invadir uma residência e resultar na morte de dois homens durante uma operação do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) na comunidade do Detran, no Recife, foram liberados na última segunda-feira (18). A informação foi confirmada pelo Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) ao G1 nesta terça-feira (19).

As vítimas, identificadas como Rhaldney Fernandes da Silva Caluete, 28 anos, e Bruno Henrique Vicente da Silva, 31 anos, foram fatalmente atingidas durante a incursão, conforme registros de uma câmera de segurança na residência invadida. Segundo a Polícia Militar, os homens eram suspeitos de envolvimento com o tráfico de drogas e teriam entrado em confronto armado com os policiais.

Os seis PMs permaneceram sob custódia desde o dia 21 de novembro, quando a Justiça decretou suas prisões preventivas (os nomes estão listados abaixo). Outros três policiais que também haviam sido detidos receberam liberdade provisória.

Segundo o diretor adjunto de Planejamento Operacional da Polícia Militar, coronel Fred Saraiva, em entrevista coletiva um dia após os fatos, os policiais tinham sido direcionados ao bairro Casa Amarela, na Zona Norte da cidade, antes de desviarem para a comunidade do Detran.

O desdobramento do caso resultou no afastamento e substituição do comandante do Bope, tenente-coronel Wambergson Correia Melo.

A soltura dos seis policiais foi determinada durante audiência na Vara de Justiça Militar, onde foi avaliado o pedido de revogação da prisão preventiva. O juiz concedeu a liberdade provisória sob a condição de cumprimento de medidas cautelares, considerando não haver risco de obstrução às investigações após a denúncia formal e o depoimento das testemunhas.

Os PMs liberados são: Carlos Alberto de Amorim Júnior; Ítalo José de Lucena Souza; Josias Andrade Silva Júnior; Brunno Matteus Berto Lacerda; Rafael de Alencar Sampaio; Lucas de Almeida Freire Albuquerque Oliveira. Já Jonathan de Souza e Silva, Carlos Fonseca Avelino de Albuquerque e Valdecio Francisco da Silva Júnior foram beneficiados com liberdade provisória por solicitação do Ministério Público de Pernambuco (MPPE).

O TJPE especificou três medidas cautelares que devem ser seguidas pelos policiais: Comparecer perante o juiz responsável pelo processo no primeiro dia subsequente à audiência e, posteriormente, mensalmente, para relatar e justificar suas atividades; Evitar o local onde ocorreu o incidente e suas redondezas, mantendo-se distantes dessas áreas para evitar possíveis infrações; Suspender suas atividades profissionais, restringindo suas atuações à área interna do batalhão onde estão lotados, sem portar arma de fogo.

Rhaldney Fernandes da Silva Caluete, de 31 anos, e Bruno Henrique Vicente da Silva, de 28 anos, suspeitos de tráfico, foram mortos em operação policial na comunidade do Detran, na Iputinga, Recife.

POLICIAIS MILITARES DO BOPE SÃO INVESTIGADOS POR DUAS MORTES NA COMUNIDADE DO DETRAN, RECIFE

O incidente ocorreu por volta das 19h30 do dia 20 de novembro na comunidade do Detran, na Zona Oeste do Recife, sendo registrado por uma câmera de segurança que capturou a entrada dos policiais na residência e a posterior remoção dos corpos em um lençol. O caso segue sob investigação da Polícia Civil.

Após os acontecimentos, moradores da comunidade manifestaram protestos na BR-101, incendiando um ônibus e queimando pneus e entulhos na via. A Polícia Civil informou que a ação do Bope na comunidade foi em resposta a denúncias sobre a posse de armas de fogo e entorpecentes pelos dois homens, identificados como suspeitos de tráfico de drogas.

Veja abaixo o momento em que os policiais arrombaram e entraram na residência:


EM VÍDEO, É POSSÍVEL SE OUVIR POLICIAL ORDENANDO MATAR SUSPEITO

Em imagens capturadas por câmeras de segurança momentos após a invasão dos policiais do BOPE a uma residência, é possível se ouvir um dos policiais falando "mata o outro cara". As imagens atualmente são objeto de investigação. Veja no vídeo abaixo:

Postar um comentário

O comentário é de total responsabilidade do internauta que o inseriu.

Postagem Anterior Próxima Postagem