Pacientes denunciam falta de medicamentos no Hospital Barão de Lucena

 

A falta de medicamentos e materiais básicos no Hospital Barão de Lucena, localizado na Zona Oeste do Recife, tem sido alvo de denúncias por parte dos acompanhantes de pacientes internados. Esta unidade de saúde, reconhecida pela realização de cirurgias de grande porte, leitos de UTI e tratamento para diversas doenças, incluindo câncer e atendimento materno-infantil de alta complexidade, enfrenta graves problemas de abastecimento.

Maria Lusitânia, uma paciente em tratamento contra o câncer, realizou apenas quatro das seis sessões de quimioterapia previstas, sendo que em apenas uma delas foram administradas as duas medicações prescritas: Taxol e Carboplatina. Sua filha, Moysa Tavares, lamentou a situação incompleta do tratamento e expressou indignação com a falta de assistência adequada. Ela ressaltou a angústia de ver a mãe privada do tratamento necessário, apontando para a responsabilidade do Estado em garantir o cumprimento das obrigações de saúde.

Além disso, mães de bebês prematuros internados na UTI neonatal relatam escassez de remédios e materiais essenciais para o cuidado dos recém-nascidos. O Conselho Regional de Enfermagem de Pernambuco (Coren) realizou fiscalizações recentes no hospital, constatando uma série de irregularidades. Entre elas, a colocação inadequada de materiais cirúrgicos, armazenamento incorreto de produtos esterilizados e presença de mofo em áreas próximas aos equipamentos de ar-condicionado.

Hospital Barão de Lucena em crise: pacientes enfrentam falta de medicamentos e materiais básicos

O Coren, em relatório datado de maio de 2023, elencou 26 itens em falta na unidade hospitalar, incluindo dispositivos médicos e medicamentos essenciais como filtro de respirador, sondas e analgésicos. Mesmo após a notificação das deficiências, a vistoria mais recente constatou a persistência dos problemas.

Em resposta, o Ministério Público informou ter recebido um documento do hospital listando medicamentos e materiais em estado crítico de estoque e planeja agendar uma audiência com a direção do hospital para abordar a situação.

Por sua vez, a direção do Hospital Barão de Lucena alega realizar um planejamento para suprir as necessidades, mesmo diante da sobrecarga. Afirma estar em processo de compra emergencial de materiais básicos e realocação de recursos de outras unidades de saúde do estado para assegurar a assistência aos pacientes.

Apesar dos esforços mencionados, a equipe de enfermagem tem realizado plantões extras e adotado seleções simplificadas, visando não comprometer os atendimentos e a qualidade da assistência prestada aos pacientes.

Postar um comentário

O comentário é de total responsabilidade do internauta que o inseriu.

Postagem Anterior Próxima Postagem