Justiça determina que Lupércio nomeie funcionários exonerados no gabinete do vice

 

O Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) emitiu uma decisão que ordena o prefeito de Olinda, Professor Lupércio, a recontratar todos os servidores do gabinete do vice-prefeito, Márcio Botelho, que foram exonerados pela prefeitura.

A juíza Luciana Maranhão, na liminar concedida, estabeleceu um prazo de dez dias para que Lupércio nomeie os servidores indicados por Márcio para os cargos comissionados. A decisão visa garantir ao vice-prefeito o direito de realizar as indicações mediante requerimento administrativo no protocolo geral da Prefeitura de Olinda-PE, acompanhado dos documentos pessoais dos nomeados para os doze cargos em comissão destinados ao Gabinete da Vice-prefeitura.

A situação ganhou destaque após Márcio Botelho expor, por meio de vídeo nas redes sociais na última terça-feira (21), a suspensão das atividades do seu gabinete, decorrente da dispensa de todos os cargos comissionados. Durante a exposição, Botelho mencionou ser vítima de perseguição política por parte do prefeito Lupércio, com quem mantém um rompimento político.


Vice diz que prefeito de Olinda demitiu funcionários de seu gabinete por perseguição

O vice-prefeito de Olinda, Márcio Botelho (PP), alegou em um vídeo divulgado nas redes sociais na noite de terça-feira (21) que todos os funcionários do gabinete da vice-prefeitura foram dispensados pelo prefeito, Professor Lupércio (Republicanos).

No vídeo, Botelho aparece ao lado de uma secretária identificada como Michele, apontada como a última integrante da equipe exonerada por Lupércio. Ele menciona a suspensão das atividades de atendimento público no gabinete após a demissão dos funcionários comissionados, argumentando que isso configura perseguição por parte do prefeito, que está em seu segundo mandato à frente da cidade, localizada na Região Metropolitana do Recife.

Além disso, o vice-prefeito mostrou problemas de infraestrutura na sala do gabinete, evidenciando questões como mofo e goteiras, destacando a condição insalubre do local para o trabalho.

"A sala está totalmente cheia de mofo, sem nenhuma manutenção. É insalubre trabalhar nesse ambiente. Cheia de mofo, goteira e, quando chove, ninguém consegue permanecer aqui", afirmou Botelho no vídeo.

Em resposta, a Prefeitura de Olinda contestou as alegações do vice-prefeito por meio de nota oficial. A gestão municipal negou a demissão de todos os funcionários do gabinete do vice-prefeito, declarando que a informação não era verdadeira.

A nota da prefeitura também destacou que quaisquer ações para intervenção no espaço não foram realizadas pela inércia do próprio vice-prefeito, alegando que ele não solicitou os serviços necessários ao setor responsável. O posicionamento da gestão municipal lamentou o foco do vice-prefeito em busca de destaque midiático, usando diversos expedientes para tal.

Postar um comentário

O comentário é de total responsabilidade do internauta que o inseriu.

Postagem Anterior Próxima Postagem