Sargentos acusados de agiotagem são expulsos da PMPE

 

Em um comunicado oficial publicado na edição de terça-feira (8) do Diário Oficial do Estado, a Secretaria de Defesa Social (SDS) de Pernambuco confirmou a expulsão de dois sargentos da Polícia Militar do Estado, após alegações de envolvimento em atividades de agiotagem.

Um dos sargentos acusados já havia sido alvo de investigação durante a "Operação Usura", uma operação da Polícia Civil iniciada em setembro de 2015. A operação tinha como foco investigar casos de agiotagem, extorsão e associação criminosa entre policiais e servidores públicos.

De acordo com o comunicado emitido, o referido policial, alvo da Operação Usura, foi considerado culpado pelo tribunal e posteriormente condenado a 7 anos de prisão. Essa sentença ocorreu após ele ter sido flagrado em ato ilícito, e uma busca em sua residência revelou um estoque de 3.587 munições de diferentes calibres, uma arma de fogo e 12 cadernos contabilizando a venda de munições.

A decisão do Conselho Disciplinar da Polícia Militar confirmou que ambos os sargentos estavam ativamente envolvidos na prática ilegal de agiotagem. O conselho considerou que suas ações eram incompatíveis com suas funções como membros da Polícia Militar do Estado, afirmando que eles não eram mais adequados para servir em suas fileiras. As ações de ambos foram consideradas violações de vários artigos do Código de Conduta da instituição.

A operação inicial Usura, lançada em setembro de 2015, resultou na prisão de nove policiais e servidores públicos. A investigação policial destacou casos de agiotagem, extorsão e associação com atividades criminosas. A operação levou à apreensão de armas de fogo, dólares americanos, cartões bancários, cartões de assistência governamental e cheques no valor de R$1.000.

Postar um comentário

O comentário é de total responsabilidade do internauta que o inseriu.

Postagem Anterior Próxima Postagem