Personal trainer é morto violentamente no DF

CEILÂNDIA - Em um incidente chocante que deixou a comunidade perplexa, o personal trainer Alef Vogado, de 29 anos, conhecido por sua liderança na igreja local e dedicação ao bem-estar da comunidade, foi brutalmente assassinado na noite de 16 de agosto. O crime ocorreu bem em frente à sua residência, próxima a um parque, no setor QNO 6 do Setor O, em Ceilândia. O trágico ato, envolvendo pelo menos 9 tiros, levou os familiares de Vogado a clamarem por justiça, enquanto lutam para compreender o motivo por trás do brutal ataque.

Lembrado com carinho como um pilar de sua comunidade, Alef Vogado era celebrado tanto por sua dedicação à igreja quanto por seu papel como personal trainer. Parentes falam dele com grande estima, enfatizando a ausência de inimigos e observando que ele nunca havia sido associado a atividades criminosas. "Ainda estamos perdidos. Alef não tinha desavenças com ninguém. Ele nunca se envolveu em qualquer comportamento criminoso. Pelo contrário, era um exemplo, não apenas na igreja e em sua profissão, mas também como líder comunitário que ia além para ajudar os outros, inclusive coletando cestas básicas para apoiar os necessitados", afirmou Ibsen Aguiar, 30 anos, primo da vítima e administrador no setor público.

Ibsen, que conversava diariamente com o primo, não percebeu quaisquer mudanças comportamentais recentes em Alef. "Ele era jovem, tinha apenas 29 anos, trabalhava como personal trainer, buscando se destacar. Era empreendedor, sempre procurando maneiras de melhorar a situação da família", compartilhou Ibsen. Fã dedicado do Flamengo, Alef aspirava a aprimorar sua posição profissional e se destacar em sua carreira como profissional de educação física.

De acordo com testemunhas oculares, o trágico incidente aconteceu quando Alef estava em casa e foi chamado ao portão por um indivíduo não identificado. Naquele momento, sua esposa e filho não estavam presentes. Após uma conversa de aproximadamente 10 minutos, uma rajada de tiros foi disparada contra ele. Os agressores fugiram do local em um Fiat Uno vermelho.

As autoridades locais relataram que Alef sofreu ferimentos a tiros na cabeça, rosto, peito e pernas.

Enquanto estão de luto, Ibsen enfatizou que a família pretende superar um ciclo de ódio, preferindo concentrar-se em buscar justiça através dos canais apropriados. Até o momento da última atualização, nenhuma prisão havia sido feita. A mãe de Alef, dominada pela tristeza, permaneceu emocionada do lado de fora da casa da família, recusando-se a conceder entrevistas.


NAS REDES SOCIAIS

Postar um comentário

O comentário é de total responsabilidade do internauta que o inseriu.

Postagem Anterior Próxima Postagem