PE fica atrás de apenas dois Estados no total de crimes violentos

 

Pernambuco, um dos estados emblemáticos do Nordeste do Brasil, se encontra no terceiro lugar em termos de crimes violentos no país durante o primeiro semestre de 2023. De acordo com os números reunidos pelo Monitor da Violência, uma iniciativa do g1 baseada em estatísticas da Secretaria de Defesa Social (SDS), o estado registrou 1.722 casos de homicídios, latrocínios e lesões corporais que resultaram em morte. A Bahia e o Rio de Janeiro lideram essa triste estatística, com 2.515 e 1.790 ocorrências, respectivamente.

Os dados mostram que Pernambuco superou estados densamente povoados, como São Paulo, que contabilizou 1.509 incidentes, e Minas Gerais, com 1.272 casos. Analisando a taxa por 100 mil habitantes, Pernambuco se destaca como o estado mais violento da região Nordeste e o segundo mais violento do país, com 17,8 crimes violentos para cada 100 mil residentes. Em comparação, a média nacional durante o mesmo período foi de 9,2. O Amapá é o único estado com uma taxa proporcional mais alta, registrando 19,9 crimes por 100 mil habitantes.

Embora a situação seja preocupante, Pernambuco testemunhou uma redução de 4,8% nos crimes violentos em relação ao primeiro semestre de 2022. Esse declínio é mais acentuado que a média nacional, que mostrou uma diminuição de 3,4%. Considerando os resultados mês a mês, somente fevereiro de 2023 apresentou um aumento em comparação ao mesmo período do ano anterior.

O Monitor da Violência, resultado de uma colaboração entre g1, o Núcleo de Estudos da Violência da Universidade de São Paulo (NEV-USP) e o Fórum Brasileiro da Segurança Pública (FBSP), compila dados detalhados mensais para proporcionar uma visão mais abrangente dos padrões de criminalidade.

Apesar do progresso na redução da criminalidade, Pernambuco ainda não conseguiu sair das posições mais elevadas no ranking dos estados mais violentos do Brasil. O 17º Anuário Brasileiro de Segurança Pública, lançado em julho, destacou que o estado possui cinco das 50 cidades mais violentas do país e registrou 3.423 homicídios em 2022.

A Região Metropolitana do Recife continua sendo um epicentro de tensão, com mais de mil tiroteios reportados somente este ano, de acordo com o Instituto Fogo Cruzado, que monitora casos de violência em grandes áreas urbanas.

Em resposta a esse cenário desafiador, o governo lançou, em 31 de julho, o programa "Juntos pela Segurança", substituindo o Pacto Pela Vida. O programa anunciou a criação da Secretaria de Administração Penitenciária e Ressocialização, juntamente com a realização de um concurso público para recrutar 3.805 novos profissionais de segurança, abrangendo policiais militares, civis e bombeiros militares.

No entanto, o lançamento do "Juntos pela Segurança" não foi acompanhado por um plano de ação detalhado ou metas específicas para os próximos anos. A consulta pública para a construção desse plano está em andamento e deve ser concluída até 28 de setembro.

A Secretária de Defesa Social de Pernambuco, Carla Patrícia Cunha, ao ser entrevistada pela TV Globo em 16 de agosto, reconheceu que os resultados das ações na área de segurança pública "ainda não são satisfatórios, mas estão em declínio".

O g1 entrou em contato com a Secretaria de Defesa Social de Pernambuco na quarta-feira (16) para obter informações sobre o progresso da elaboração do plano de segurança e as metas a serem alcançadas nos próximos anos, mas até o momento da última atualização desta matéria, não havia recebido resposta.


*Com informações do G1

Postar um comentário

O comentário é de total responsabilidade do internauta que o inseriu.

Postagem Anterior Próxima Postagem