Pastor é preso no RJ por latrocínio ocorrido em PE

 

Nesta segunda-feira, dia 31, agentes da Delegacia da Criança e Adolescente Vítima (Dcav) prenderam o pastor evangélico José Belmont Ferreira de Barros, conhecido como Gordo, de 50 anos, no Parque Eldorado, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. Gordo estava foragido da Justiça desde 2008, quando foi condenado à pena de 23 anos de prisão por um latrocínio (roubo seguido de morte) ocorrido em 2002, no estado de Pernambuco.

O crime ocorreu em abril de 2002, quando Gordo estava no Nordeste com três amigos que haviam morado no Rio de Janeiro. Conforme as investigações, o grupo decidiu roubar um veículo para retornar ao Rio, devido à falta de recursos para as passagens de ônibus.

O pastor fechou uma corrida de táxi na cidade de Santa Rita (PB), com destino ao Recife (PE). No trajeto, ao passarem pela cidade de Cabo de Santo Agostinho (PE), anunciaram o assalto e, de forma brutal, mataram o taxista por estrangulamento, utilizando um cabo de aço e um cinto de couro. O corpo do motorista foi abandonado em um canavial à beira da estrada.

Após cometer o crime, o grupo seguiu viagem até o Rio de Janeiro e vendeu o veículo roubado para desmanche.

Em 2003, durante uma visita a parentes na Paraíba, Gordo foi preso em flagrante junto com um dos comparsas, tentando vender um veículo Parati que constava como roubado no Rio de Janeiro. Na delegacia, o pastor confessou que ele e seu amigo mataram o motorista do carro, que fazia transporte alternativo em Campo Grande, na Zona Oeste do Rio, para que pudessem seguir viagem até a Paraíba.

Após um ano de prisão na Paraíba, Gordo foi liberado por meio de um habeas corpus. Em seguida, ele retornou ao Rio de Janeiro, onde estabeleceu residência e fundou a Igreja Evangélica Assembleia de Deus Nascendo em Cristo. Em 2008, foi condenado à revelia pelo latrocínio cometido no Nordeste.

Postar um comentário

O comentário é de total responsabilidade do internauta que o inseriu.

Postagem Anterior Próxima Postagem