Comissário da polícia é punido por agredir ex-companheira

 

Um comissário da Polícia Civil de Pernambuco foi sancionado com um afastamento de 30 dias de suas funções, em decorrência de um incidente de violência perpetrado contra sua ex-companheira em 2020, na cidade de Caruaru, localizada no Agreste pernambucano.

Conforme detalhado no Boletim Geral da Secretaria de Defesa Social (SDS) desta terça-feira (8), o agente policial agrediu física e verbalmente a mulher, chegando inclusive a cuspir em seu rosto, em frente ao seu local de trabalho. Os lamentáveis acontecimentos tiveram lugar no dia 11 de maio de 2020.

A documentação oficial também revela que o policial civil teria disseminado imagens de natureza íntima da vítima nas plataformas de mídia social, levando a mulher a formalizar um Boletim de Ocorrência em 5 de junho de 2020. Nesse contexto, ela solicitou medidas protetivas de caráter urgente.

A identidade dos indivíduos envolvidos foi resguardada a fim de preservar o anonimato da vítima. Após um período de três anos de investigação, a SDS determinou a suspensão do comissário pelo prazo de 30 dias. Ademais, a sanção prevê que essa penalidade seja convertida em uma multa correspondente a 50% de seu vencimento ou remuneração diária, enquanto o policial permanecerá obrigado a permanecer em suas atividades laborais.

Através da portaria, ficou estabelecido que "as evidências contidas no conjunto probatório coletado nestes autos, inclusive mediante o uso de imagens em vídeo dos incidentes abordados no presente caso, revelam as circunstâncias envolvendo a agressão". Nesse contexto, a conduta do servidor policial civil em questão foi claramente considerada inaceitável no âmbito administrativo e disciplinar, devido à posição que ocupa no serviço público.

A documentação igualmente destaca que o agente negligenciou a responsabilidade de zelar pela integridade da função policial, bem como pela manutenção de um comportamento público exemplar, indicando que tal atitude é "inteiramente incongruente com as normativas vigentes, além de conflitar com os princípios do programa de política pública do Poder Executivo Estadual que visa combater e reprimir a violência doméstica e familiar contra a mulher". A determinação, datada e assinada por Carla Patrícia Cunha, secretária de Defesa Social de Pernambuco, foi emitida por meio desta portaria.

Postar um comentário

O comentário é de total responsabilidade do internauta que o inseriu.

Postagem Anterior Próxima Postagem