Cantos homofóbicos são registrados em jogo do Náutico

 

Na última edição do confronto entre Náutico e CSA, ocorrido no domingo, dia 06, no Estádio dos Aflitos, chamou a atenção um incidente lamentável registrado pelo árbitro Dyorgines José Padovani de Andrade na súmula da partida. O empate sem gols, embora seja o foco central, ficou obscurecido pelo relato de cantos homofóbicos vindo das torcidas de ambos os times.

Aos 11 minutos do primeiro tempo, a partida foi momentaneamente paralisada devido à audição de cânticos homofóbicos vindos das arquibancadas. A torcida do Náutico, localizada atrás de um dos gols, entoou letras com conteúdo homofóbico. O árbitro, atento ao ocorrido, prontamente comunicou o incidente ao delegado da partida. Em seguida, uma intervenção foi feita através do sistema de som do estádio, solicitando que os cantos ofensivos cessassem, resultando em imediata obediência por parte da torcida.

É importante ressaltar que, após o término da partida, o quarto árbitro relatou que também ouviu cânticos homofóbicos vindos da torcida do CSA, que estava posicionada próximo a um dos gols. No entanto, tal incidente não foi observado pelo árbitro principal.

Cabe destacar que o registro de incidentes desse tipo pode ter implicações para os clubes envolvidos. O exemplo do Corinthians é citado, quando o clube foi penalizado pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) e se viu obrigado a disputar uma partida com portões fechados, como resultado de cânticos homofóbicos entoados por sua torcida após um clássico contra o São Paulo na Série A. Essa penalidade foi cumprida no dia 29 de junho, em um jogo contra o Vasco.

Postar um comentário

O comentário é de total responsabilidade do internauta que o inseriu.

Postagem Anterior Próxima Postagem