Médico acusado de assédio em policlínica tem prisão decretada após 10 meses

Após 10 meses do incidente, a justiça decretou a prisão de um médico acusado de assédio por uma paciente durante uma consulta em uma policlínica da rede pública, localizada na Zona Sul do Recife. O fato ocorreu em setembro de 2022, e segundo informações da Prefeitura do Recife, o profissional de saúde, cujo nome não foi divulgado, já havia sido afastado do trabalho após as denúncias.

O caso de violência sexual teve lugar na Policlínica e Maternidade Arnaldo Marques, no bairro do Ibura. No boletim de ocorrência, consta o registro de estupro de uma mulher de 22 anos, que também não teve seu nome divulgado pela polícia. A vítima procurou a clínica para atendimento devido a uma enxaqueca. Acompanhe o depoimento da vítima na época ( Vídeo ) .

O que aconteceu

Policiais da Delegacia de Polícia da 10ª CP - IBURA, sob coordenação da Delegada Carmem Lúcia, realizaram nesta manhã, em 19/07/2023, o cumprimento de um mandado de prisão preventiva com o apoio de policiais da 3ª DESEC. A ordem judicial foi expedida pela 15ª Vara Criminal da Capital e tinha como alvo um médico no bairro de Barra de Jangada, em Jaboatão dos Guararapes, PE, onde ele estava exercendo suas atividades em um posto médico.

O médico em questão foi denunciado por, pelo menos, três pacientes que o acusaram de cometer abusos sexuais durante atendimentos realizados na policlínica Arnaldo Marques, localizada no Ibura. A gravidade das denúncias motivou a instauração de um inquérito policial naquela circunscrição, resultando no pedido de prisão preventiva, especialmente devido às mensagens intimidadoras que ele teria enviado às vítimas.

Além do mandado de prisão, também foi cumprido um mandado de busca e apreensão na residência do médico, localizada no bairro de Candeias. A busca tinha autorização para extrair as mensagens ameaçadoras contidas nos smartphones e computadores apreendidos durante a operação.

O médico agora se encontra sob custódia das autoridades e o caso continua sob investigação. As provas coletadas durante a busca e apreensão serão analisadas a fim de fortalecer o inquérito policial em curso. A atuação incisiva da Polícia Civil demonstra o comprometimento em levar a cabo uma apuração minuciosa dos fatos, visando assegurar a justiça e a proteção das vítimas envolvidas no caso.

(Foto: Divulgação. )

A polícia divulgou, por nota, que a vítima relatou ter sido recebida pelo médico de 37 anos, e durante o atendimento, ele teria solicitado que ela se aproximasse e apalpado partes íntimas sem o seu consentimento. Além disso, segundo o comunicado da polícia, o profissional também teria tentado beijá-la sem sua autorização. O episódio foi registrado como um caso de violência sexual no local.

O médico agora se encontra com a prisão decretada pelas autoridades, e o caso continua sob investigação. Mais informações sobre o desenrolar do processo serão divulgadas conforme os avanços na apuração dos fatos. A prefeitura já havia afastado o profissional de suas funções logo após as denúncias, buscando garantir a segurança e o bem-estar dos pacientes da unidade de saúde. 

Postar um comentário

O comentário é de total responsabilidade do internauta que o inseriu.

Postagem Anterior Próxima Postagem