Ex-PM morto em Boa Viagem foi soldado e tinha vida de luxo

INSCREVA-SE

Heleno José do Nascimento Júnior, conhecido como Júnior Black, ex-policial militar, foi encontrado morto em Boa Viagem, na zona do Recife, vítima de tiros de fuzil. Sua morte chamou a atenção para uma vida de viagens e hobbies caros, contrastando com o soldo de soldado que recebia na Polícia Militar de Pernambuco.

Nas últimas publicações em suas redes sociais, Júnior Black compartilhou imagens de suas viagens pela Europa, onde posava em cenários da Itália e em hotéis de alto padrão. Além disso, demonstrava grande afinidade com motocicletas de luxo e ostentava trajes e relógios de alto valor.

Em 2021, Heleno foi expulso da Polícia Militar de Pernambuco (PMPE), mas mesmo após deixar a corporação, continuou exibindo uma vida de luxo. Conforme dados disponíveis no Portal de Transparência do Estado de Pernambuco, o ex-PM recebia um soldo de R$ 3.723,99, em valores líquidos, referente ao cargo de Soldado.

Amigos e familiares relatam que Heleno era uma pessoa amável, educada e que aparentava realizar diversas ações de caridade, registradas em suas redes sociais. Contudo, desconheciam o fato de ele ter sido expulso da PM. Entretanto, além de constar como excluído da PMPE, informações revelam que ele já foi preso em 2013 por envolvimento em um grupo de extermínio, além de supostamente ter realizado extorsões a comerciantes durante o exercício de suas funções como policial militar.

Amigos e familiares relatam que Heleno tinha uma transportadora | Imagem: Redes Sociais

Segundo relatos de amigos próximos, Heleno possuía uma transportadora, o que poderia explicar parte de sua vida de luxo. Contudo, não foram encontrados até o momento registros de CNPJ em seu nome. Vale lembrar que a legislação proíbe que servidores públicos exerçam cargos de gerência ou administração em empresas privadas. O Estatuto dos Policiais Militares do Estado de Pernambuco também veda qualquer tipo de participação na administração ou gerência de empresas, ou fazer parte como sócio.

A morte de Júnior Black, com toda a sua complexidade e contrastes, está sendo investigada pelas autoridades, buscando esclarecer as circunstâncias e motivações do crime. Sua vida de ostentação levanta questões sobre a relação entre o padrão de vida de alguns ex-policiais e suas rendas declaradas, além de chamar a atenção para a importância da transparência e da conduta ética dos membros das forças de segurança.


EX-PM É MORTO COM TIROS DE FUZIL EM BOA VIAGEM

Na tarde desta segunda-feira, dia 17, um ex-policial militar foi encontrado morto dentro de uma caminhonete preta, vítima de tiros de fuzil, no bairro de Boa Viagem, Recife. O incidente ocorreu em frente ao estabelecimento "Bode do Nô", na Rua Dr. João Guilherme Pontes Sobrinho.

Em imagens de câmeras de segurança, dois homens encapuzados descem de um carro Kwid branco, se aproximam do carro da vítima e efetuam diversos disparos de arma de fogo. Após o crime, a cena chocante revelou o veículo crivado de marcas de tiros, apontando o uso de um fuzil calibre .556 no crime. Além do ex-PM, uma mulher de 54 anos também foi morta por balas perdidas e seu corpo foi encontrado na calçada, ao lado do automóvel do ex-policial. Uma terceira pessoa também foi atingida pelos disparos, mas não foram divulgadas informações sobre o estado de saúde dessa vítima.

As autoridades estão investigando o caso, mas até o momento, não foram fornecidos detalhes sobre os suspeitos ou possíveis motivações por trás do tiroteio.

Segundo informações, o ex-PM assassinado se chama Heleno José do Nascimento Júnior, mais conhecido como Júnior Negão. A vítima teria sido excluído da Polícia Militar, tendo envolvimento também, quando exercia a função de policial, com extorsão a comerciantes e com um grupo de extermínio.



Postar um comentário

O comentário é de total responsabilidade do internauta que o inseriu.

Postagem Anterior Próxima Postagem