Cientistas desenvolvem "pílula" que promete reverter envelhecimento

 

Pesquisadores de Harvard descobriram um coquetel químico que pode reverter o envelhecimento. Em um estudo inovador, cientistas da Harvard Medical School, em parceria com a Universidade do Maine e com o MIT, publicaram a primeira abordagem química para reprogramar células para um estado mais jovem. Anteriormente, isso só era possível por meio de uma poderosa terapia genética.

“Mostramos anteriormente que a reversão de idade é possível usando terapia genética para ativar genes embrionários. Agora mostramos que é possível, com coquetéis químicos, um passo em direção ao rejuvenescimento acessível de todo o corpo" escreveu o pesquisador de Harvard David Sinclair em uma série de publicações no Twitter que acumulam 1 milhão de visualizações. A equipe trabalhou mais de três anos para encontrar moléculas que pudessem se combinar para reverter o envelhecimento celular e rejuvenescer as células humanas. Os pesquisadores se basearam na descoberta vencedora do Prêmio Nobel de que a expressão de genes específicos, chamados fatores de Yamanaka, que levantou a possibilidade de reverter o envelhecimento celular sem fazer com que as células se tornem muito jovens e cancerígenas. No novo estudo, publicado recentemente na revista científica Aging, os pesquisadores buscaram combinações de moléculas que poderiam reverter o envelhecimento celular e rejuvenescer as células humanas. Por meio de experimentos em animais, incluindo camundongos e primatas, eles conseguiram identificar seis coquetéis químicos que podem “reverter” os sinais visuais de envelhecimento “em menos de uma semana”, segundo Sinclair. Cada coquetel contém entre cinco e sete agentes, muitos dos quais são usados no tratamento de distúrbios físicos e mentais, como convulsões, depressão e Parkinson. Anteriormente, a mesma equipe mostrou que é realmente possível reverter o envelhecimento celular sem o crescimento celular descontrolado pela introdução viral de genes específicos de Yamanaka nas células. Estudos sobre o nervo óptico, tecido cerebral, rim e músculo mostraram resultados promissores, com visão melhorada e maior expectativa de vida observada em camundongos e, recentemente, um relato de visão melhorada em macacos. As implicações dessa nova descoberta abrem caminho para a medicina regenerativa e, potencialmente, para o rejuvenescimento de todo o corpo. "Até recentemente, o melhor que podíamos fazer era retardar o envelhecimento. Novas descobertas sugerem que agora podemos reverter isso", disse Sinclair, em comunicado. O próximo passo é iniciar os testes clínicos em humanos. A equipe de Harvard prevê um futuro onde doenças relacionadas à idade podem ser tratadas com eficácia, lesões podem ser reparadas com mais eficiência e o sonho do rejuvenescimento se torna realidade. "Esta nova descoberta oferece o potencial de reverter o envelhecimento com uma única pílula, com aplicações que vão desde a melhoria da visão até o tratamento eficaz de inúmeras doenças relacionadas à idade", afirmou o pesquisador.


"PÍLULA DA JUVENTUDE" CAUSA DIVERGÊNCIAS

A Pílula de Rejuvenescimento da Universidade de Harvard tem sido objeto de intensa controvérsia no meio científico. Liderada pelos pesquisadores da Escola de Medicina de Harvard, a investigação busca desvendar formas de retardar ou reverter o processo de envelhecimento.

A controvérsia em torno dessa pílula surge, em parte, devido às suas alegações e ao risco de prematura comercialização. Muitos cientistas questionam a validade dos resultados obtidos até o momento e alertam para os riscos de promover um produto antes que todos os dados sejam minuciosamente revisados e confirmados.

Outro receio é que a pílula seja vista como uma solução rápida para o envelhecimento, levando as pessoas a negligenciar cuidados fundamentais para uma vida saudável, como alimentação balanceada, prática regular de exercícios e busca por assistência médica adequada.

Diante desse cenário, é de extrema importância que a pesquisa continue avançando, e sejam conduzidos estudos clínicos rigorosos para verificar a eficácia e segurança da Pílula de Rejuvenescimento de Harvard. Apenas com base em evidências científicas sólidas será possível avaliar o seu real potencial e impacto na saúde humana.

Em resumo, a Pílula de Rejuvenescimento de Harvard é um tópico instigante e gerador de debates no âmbito científico. Embora promissora, é ainda uma pesquisa em estágio inicial, e é indispensável seguir um processo de investigação rigoroso antes de considerá-la como uma opção segura e eficaz no combate ao envelhecimento.

Postar um comentário

O comentário é de total responsabilidade do internauta que o inseriu.

Postagem Anterior Próxima Postagem