Após assembleia, rodoviários decidem manter greve

Na tarde desta sexta-feira, dia 28, em uma assembleia realizada na sede do sindicato localizada no bairro de Santo Amaro, área central da cidade, os rodoviários da Região Metropolitana do Recife decidiram, por unanimidade, manter a greve que teve início na última quarta-feira (26).

Os manifestantes, que continuam mobilizados em busca de melhores condições de trabalho e reajuste salarial, anunciaram a realização de uma passeata para hoje. O percurso da manifestação inclui avenida Cruz Cabugá, parque Treze de Maio, Câmara dos Vereadores do Recife, com o término previsto no Palácio do Campo das Princesas.


PRESIDENTE DO SINDICATO É PRESO DURANTE GREVE

No terceiro dia de greve, na madrugada desta sexta-feira, dia 28, Aldo Lima, presidente do Sindicato dos Rodoviários do Recife e Região Metropolitana, foi preso pela Polícia Militar e conduzido à Central de Plantões da Capital, em Campo Grande. A prisão ocorreu durante uma abordagem enquanto o presidente conversava com trabalhadores na porta da garagem da empresa Pedrosa, convocando para a assembleia-geral que acontecerá hoje às 14h, na sede do sindicato.

O Sindicato das Empresas de Transporte Urbano de Passageiros do Estado de Pernambuco (Urbana-PE) emitiu um comunicado informando que o Sindicato dos Rodoviários "segue descumprindo determinações judiciais nesta sexta-feira (28)". De acordo com a empresa, as "lideranças rodoviárias continuam promovendo bloqueios, piquetes e tentando impedir trabalhadores que não desejam participar do movimento grevista de exercerem suas atividades. Além disso, há vários registros de representantes do Sindicato dos Rodoviários esvaziando pneus e depredando ônibus que estavam em operação. Em uma dessas investidas, em frente a uma das garagens, o presidente do Sindicato dos Rodoviários, Aldo Lima, foi detido por crime de desobediência e desacato", declarou.

Após a prisão na manhã desta sexta-feira (28), Aldo Lima, presidente do Sindicato dos Rodoviários, foi liberado no Recife. Em um encontro emocionante com sua família, a mãe do presidente afirmou, aos prantos, que seu filho foi preso por lutar por melhores condições de trabalho e disse que ele "não é um marginal".

O representante dos rodoviários foi preso pela Polícia Militar na entrada da garagem da empresa Pedrosa e conduzido ao Centro de Flagrantes de Campo Grande, em Santo Amaro. Em nota, a Polícia Civil informou que registrou uma ocorrência de Desobediência.

Segundo os agentes, Aldo Lima teria "mobilizado um grupo de manifestantes até uma empresa de transportes, no bairro de Nova Descoberta, que teriam, segundo relatos de testemunhas, bloqueado a saída de coletivos e impedido que trabalhadores que não estariam aderindo à greve exercessem as atividades". Conforme a Polícia, após ter realizado os procedimentos cabíveis e assinatura de Termo de Compromisso, Aldo Lima foi liberado.




Postar um comentário

O comentário é de total responsabilidade do internauta que o inseriu.

Postagem Anterior Próxima Postagem