Acusado de estuprar candidatas a vaga de emprego no Aeroporto do Recife é preso

 

Nesta segunda-feira, dia 10, um indivíduo foi detido sob a acusação de ter estuprado quatro mulheres durante uma entrevista de emprego para uma empresa terceirizada no Aeroporto do Recife, localizado na Zona Sul da capital pernambucana. De acordo com a Polícia Civil, o suspeito foi denunciado pelo Ministério Público e agora enfrenta acusações formais de estupro. Segundo informações, o incidente ocorreu no dia 29 de junho. Uma das vítimas relatou que o recrutador exibiu uma arma presa ao pênis e utilizou a simulação de uma revista íntima como pretexto para cometer os abusos.

O homem, de 37 anos, foi capturado na residência de seu pai, um policial reformado, situada no bairro do Ipsep, na Zona Sul do Recife, e não ofereceu resistência durante a prisão. A ordem de prisão preventiva foi emitida pelo Poder Judiciário. Segundo o delegado Joel Venâncio, o suspeito já havia prestado depoimento no dia seguinte ao crime, mas foi liberado por falta de flagrante.

O delegado também informou que, de acordo com representantes da empresa, o suspeito não deveria ter conduzido as entrevistas sozinho. Além disso, o Ministério Público aceitou a denúncia apresentada pela polícia e formalizou acusações contra o suspeito, tornando-o réu pelo crime de estupro.

Após a prisão, o homem foi encaminhado ao Instituto de Medicina Legal (IML), localizado no bairro de Santo Amaro, no Centro da cidade. Em seguida, ele será transferido para o Centro de Observação e Triagem Professor Everardo Luna (Cotel), situado em Abreu e Lima, na região metropolitana do Recife, onde passará por uma audiência de custódia.

Segundo os advogados das vítimas, três mulheres registraram ocorrência conjunta na Delegacia de Boa Viagem, enquanto uma quarta mulher fez o boletim de ocorrência posteriormente, na mesma unidade. Todas as vítimas haviam se candidatado a uma vaga de agente de proteção na empresa GPS Predial Sistemas de Segurança Ltda.

Inicialmente, as candidatas foram convocadas por uma funcionária do setor de recursos humanos da empresa terceirizada para a entrevista no aeroporto. No entanto, ao chegarem ao local, foram informadas de que seriam entrevistadas por um homem, que as conduziu a uma sala de espera dentro do terminal.

Em nota, a GPS Predial Sistemas de Segurança informou que demitiu o funcionário assim que tomou conhecimento das denúncias.

A Aena Brasil, responsável pela administração do terminal, afirmou que as câmeras de segurança do aeroporto não cobrem os escritórios privados das empresas nas instalações, mas as imagens capturadas na entrada do terminal de carga estão disponíveis às autoridades.

Postar um comentário

O comentário é de total responsabilidade do internauta que o inseriu.

Postagem Anterior Próxima Postagem